Make your own free website on Tripod.com

 

LABRE VHF - UHF - SHF DX CONTEST

Uma Promoção, LABRE-SP


REGULAMENTO

 

FINALIDADE: Incentivar uma maior e correta utilização das faixas e sub-faixas de freqüências muito elevadas (VHF/UHF/SHF) do Serviço de radioamador por meio da realização do maior número possível de contatos bilaterais completos em simplex, ponto a ponto, não repetidos na mesma faixa e repetidos uma única vez em cada outra faixa utilizada; exceto nas emissões mistas, onde é permitido um contato por modo em cada banda. Proporcionar dessa forma um treinamento de agilidade, proficiência e prontidão operacional em situações de DX e contestes. Divulgar a correta utilização do sistema Localizador Mundial ( Maidenhead Locator ).

 

OBJETIVO DOS PARTICIPANTES: Manter o maior número possível de comunicados simplex, bilaterais, com estações nacionais e internacionais, observando como critério a quantidade e qualidade dos contatos, sem a interveniência de estações repetidoras, de superfície ou orbitais e sem o uso de banda cruzada, retransmissão de informação de uma ou mais estação ou de qualquer outra faixa, exceto o uso de DX Clusters em modalidade específica.

 

ÂMBITO: Competição aberta à participação de estações radioamadoras e radioescutas, fixas ou portáteis (não em movimento), brasileiras ou estrangeiras, devidamente licenciadas e em observância da legislação em vigor no país do participante na data de sua realização.

 

PERÍODO: 48 horas de competição no total. Início às 00:00 h UTC do dia 04 de novembro de 2000 e término às 00:00 UTC do dia 05 de novembro de 2000 (Domingo). Não existe limite de tempo para participação.

 

Nota: Por ser horário UTC, no Brasil - hora oficial - o conteste começa às 2100 PY da Sexta 03 de novembro e acaba às 2100 PY do Domingo 07 de novembro.

 

FREQÜÊNCIAS:

São as bandas competitivas as autorizadas acima de 50 Mhz, a saber:

 

São os seguintes sub-espectros indicados para uso do conteste (em MHz): (ver ítem F para opcionais)

 

FAIXA //// MODO

CW

SSB

FM

MODOS DIGITAIS

6 metros

50.080 a 50.100

590.100 a 50.300

50.300 a 50.500

50.600 a 50.800

2 metros

144.050 a 144.100

144.100 a 144.275

144.900 a 145.100

145.500 a 145.800

145.500 a 145.800

1,5 metros

222.050 a 222.100

222.100 a 222.200

223.400 a 223.520

220.000 a 223.640

70 centímetros

432.000 a 432.100

432.100 a 432.300

434.500 a 435.000

433.000 a 434.500

Acima de 33 cm

903.100 a 903.400

1296.10 a 1296.30

2304.10 a 2304.20

3456.10 a 3456.30

5760.10 a 5756.30

10368.0 a 10.500.0

24364.0 a 24500.0

903.100 a 903.400

1296.10 a 1296.30

2304.10 a 2304.20

3456.10 a 3456.30

5760.10 a 5756.30

10368.0 a 10.500.0

24364.0 a 24500.0

906.000 a 906.500

1294.00 a 1295.00

2305.00 a 2306.00

3300.00 a 3400.00

5650.00 a 5760.00

10368.0 a 10500.0

24364.0 a 24500.0

904.000 a 906.000

1248.00 a 1252.00

2304.20 a 2304.30

3300.00 a 3400.00

5650.00 a 5760.00

10368.0 a 10500.0

24364.0 a 24500.0

 

Além dos sub-espectros não descritos no ítem acima, NÃO transmitir durante o conteste em (MHz):

 

BANDA

QRG's que NÃO deverão ser utilizadas

6 metros

50.110, 50.125, 50.200, 50.400, 50.700

2 metros

144.200, 144.300, 144.475

1,5 metros

220.100, 223.500

70 centímetros

432.100 (ver ítem G)

 

A operação acima de 902 Mhz (33 centímetros) equivale ( para efeitos práticos do conteste ) a uma só banda. A transmissão em 1.2 Ghz, por exemplo, equivale à mesma banda, mesmo que não tenha operado 902 Mhz.

 

É obrigatório o respeito a subdivisão de faixas por modos recomendadas pela IARU/ITU e órgãos

reguladores de cada país e, além disso, visando a não ocupar freqüências que sejam

normalmente usadas para outras finalidades que não a do concurso, portanto não utilizar: a) as

freqüências internacionais de chamada de cada faixa; b) as freqüências das referidas faixas que estejam

divididas em canais e se destinem a contatos locais; c) freqüências dos segmentos de reflexão lunar,

satélites e beacons das faixas, d) freqüências de entrada ou de saída de repetidoras e e) as freqüências limítrofes entre as sub-faixas estipuladas legalmente.

 

Foram propostos para uso experimental como QRG's (em MHz) de chamada: 144.250 SSB e 144.970 FM; assim como o sub-espectros opcionais ( nos casos as originais estarem saturadas ) em 6 metros para CW de 50.100 a 50.200 e para CW/SSB de 51.000 a 51.100 (para Pacific-European DX Window).

 

Deverão ser respeitadas, além das citadas, as emissões não relacionadas ao conteste as seguintes QRG's (em MHz) acima de 902 MHz: 903.100, 903.500, 1296.100, 2304.100, 2305.200, 3456.100, 5760.100, 10400.0, 10480.0, 24368.0

 

O espectro de 50.100 a 50.125 MHz deve ser utilizado exclusivamente para contatos DX (DX Window).

 

MODOS: CW, SSB, Digitais, FM – observando-se o segmento apropriado a cada um desses modos.

Nota: Entende-se como Modos digitais as seguintes variações: RTTY, PACKET, PACTOR, AMTOR, ASCII. Todos eles configuram, para efeitos do conteste apenas como um modo, chamado Modos digitais.

 

CATEGORIAS: Caracteriza uma categoria: o número de operadores, o número de bandas utilizadas, os modos utilizados e a potência empregada:

 

Operador único - Mono banda: um único radioamador operando a estação utilizando somente uma única banda das competitivas, em Multi Modos ou Modo Simples (escolher), com as seguintes especificações de potência:

 

 

Operador único - Multi banda: um único radioamador operando a estação utilizando duas ou mais bandas competitivas, em Multi Modos ou um Modo Simples (escolher), com as seguintes especificações de potência:

 

 

Multi operador - Mono banda: vários radioamadores operam uma estação utilizando somente uma banda das competitivas, em Multi Modos ou um Modo Simples (escolher), com ou sem o uso do DX cluster e com as seguintes especificações de potência:

 

 

Multi operador - Multi banda: vários radioamadores operam uma estação utilizando duas ou mais bandas competitivas, em Multi Modos ou um Modo Simples (escolher), com ou sem o uso de DX cluster e com as seguintes especificações de potência:

 

 

Radioescuta - Um ou vários operadores operam radioescuta nas bandas competitivas. Especificar se Mono Banda ou Multi Banda.

 

DEFINIÇÕES:

 

  1. Entende-se como transmissão QRP quando a potência de saída não exceda 10 watts, como transmissão de baixa potência quando a potência de saída não exceda 100 watts e como transmissão QRO quando a potência de saída é superior a 100 watts.
  2. Entende-se como transmissão em Modo Simples quando foi utilizado apenas um (1) dos modos competitivos durante todo o conteste, em Multi Modo quando foi utilizado ao menos dois (2) dos modos competitivos durante o conteste. Os modos competitivos são: FM, SSB, CW e Modos Digitais.
  3. Os responsáveis pelas estações devem respeitar as limitações de potência assim como o uso do espectro por classe de radioamador e pela categoria de competição escolhida.
  4. As estações, inclusive com vários operadores, devem operar com um único QRZ durante todo o conteste, do responsável ( restringindo-se aos limites de classe ) ou com QRZ especial oficialmente reconhecido.
  5. Os competidores Mono Banda que tiverem em seu log algum QSO de outra banda diferente a escolhida promove seu log e participação à categoria Multi op - Multi banda.
  6. Os competidores Modo Simples que tiverem em seu log algum contato de outro modo diferente ao escolhido promove seu log e participação à categoria Multi op - Multi banda - Multi Modos.
  7. Os operadores Multi Banda deverão obedecer as restrições de potência da categoria escolhida em todas as bandas, também em acordo com a legislação nacional e internacional em vigor.
  8. O uso de DX Cluster deve ser claramente citado no Sumário.
  9. O uso de DX Cluster é facultativo às estações com Multi operadores, caso contrário a estação como operador único que utilizar do Dx Cluster promove invariavelmente seu log e participação às categorias Multi operadores, com a respectiva definição de banda competitiva anteriormente escolhida.
  10. Não existe limite numérico para o número de transceptores a serem utilizados por uma estação, no entanto, NÃO deverá haver transmissão simultânea de sinais da mesma estação em diferentes QRG's na mesma banda.

 

TIPOS DE ESTAÇÕES:

  1. FIXA: No próprio QTH ou semelhante; usar o grid do local.
  2. PORTÁTIL: Transmissão em diferente QTH base, fixa ( não em movimento ). Usar o grid do local, previamente calculado.
  3. Nota 1: É apreciável o envio, antes ou junto com o Relatório, um mapa ou croquis nítidos com as

    referências do local utilizado pela estação portátil. Tal providência poderá ser solicitada, acrescida

    de outros documentos necessários caso alguma estação deste tipo esteja bem classificada.

  4. Todas as resoluções também são válidas para a estação de radioescuta.

 

QSO: Trocar RS(T) + Grid Square

Nota 1: A estação transmitirá durante todo o conteste um (1) único Grid Square. (ver ítem 14)

Nota 2: O uso do RS(T) padrão 59(9) é facultativo para efeitos do conteste.

 

PONTOS DOS QSO's:

(A) Contar um (1) ponto para cada QSO nos 6 metros (50 MHz)

(B) Contar dois (2) pontos para cada QSO nos 2 metros ( 144 MHz )

(C) Contar três (3) pontos nos 1.5 metros (220 MHz) e 70 centímetros (440 MHz)

(D) Contar quatro (4) pontos nas freqüências acima de 902 MHz ( inclusive )

(E) Os contatos em FM e modos digitais multiplicar pelo peso um (1)

(F) Os contatos em SSB e CW multiplicar pelo peso dois (2)

(G) Para os radioescutas: será pontuada com os mesmos quesitos expostos acima cada estação escutada com QRZ e Grid completos, além dos outros dados básicos do log.

 

MULTIPLICADORES:

(A) Os diferentes grids squares por banda e modos.

(B) Contatos com estações no seu grid não valem como multiplicador (*).

( C) Para radioescutas: apenas os grids logados serão considerados para multiplicadores. É possível a existência de dois multiplicadores em um QSO logado (para os radioescutas).

Nota : Um mesmo grid poderá valer portanto como quatro multiplicadores por banda, devido os quatro

modos competitivos.

Exemplo: Suponha que PY2EVN em GG67 não tenha trabalhado nenhum operador em GG66. Se ele contactar com PY2ZX (em GG66) nos 2 metros em FM (1), SSB (2), CW (3) e modos digitais (4), PY2ZX forneceu quatro multiplicadores, por que apesar de estar na mesma banda e vindo do mesmo grid GG66, eles foram trabalhados em diferentes modos. Se depois PY2EVN contatar PY2JP também em GG66 nos dois metros FM, este agora não acrescenta multiplicador algum pois o grid já foi trabalhado. Ele apenas oferece pontos de QSO por banda e modo. Se PY2ZX agora for contactado por PY2EVN em 6 metros FM, ele oferece mais uma vez o multiplicador (GG66) caso o grid que ele transmita não tenha sido trabalhado antes por PY2EVN na banda e no modo.

 Nota2: É válido como Modo digital o QSO feito em qualquer uma das modalidades digitais reconhecidas na nota do ítem. Caso seja trabalhada uma estação em RTTY (por exe.), e depois este contato seja repetido na mesma banda mas em AMTOR, é contato inválido - duplicado - dupe, pois esta estação já foi trabalhada anteriormente na mesma banda em Modo digital, assim um grid em PACTOR (por exe.) vale o mesmo em PACKET ou em qualquer outra modalidade digital.

 

PONTUAÇÃO FINAL: O total da pontuação dos contatos multiplicado pelo número de diferentes grids squares trabalhados.

 

(A) Exemplo: Na tabela abaixo, na quinta linha, foram computados 20 QSO's em dois metros em FM. Estes 10 QSO's, como foram em dois metros, valem 20 pontos por que os contatos em dois metros são multiplicados por dois (10 x 2). Como os contatos foram em SSB, este 20 pontos são multiplicados por dois ( que é o peso dos contatos em SSB ), perfazendo 40 pontos como mostrado. Os grids não entram neste cálculo de pontos de QSO, mas é importante a grafia de quantos diferentes grids foram trabalhados por banda e modo, tal como o mostrado. Siga sempre o exemplo mostrado abaixo, separando a quantia de QSO's por banda e modos, com cada grid trabalhado do respectivo modo e banda para a fácil identificação dos multiplicadores - grids e fácil cálculo da pontuação final. Fazer o QSO não significa obter um novo e diferente grid conforme mostrado nos exemplos com asteriscos (*). Isso poderá ocorrer quando o grid for repetido na mesma banda e modo apesar de originado de diferentes estações ou o grid ser o mesmo ao seu. Da mesma forma, os cinco grids trabalhados no exemplo em 6 m. FM e 6 m. SSB (linha 1 e 2) poderão terem sidos exatamente os mesmos, mas por terem sidos realizados em diferentes modos, são considerados diferentes grids trabalhados. O grid deve ser considerado na banda e modo, conjuntamente.

 

EXEMPLO:

 

FAIXA

MODO

NÚMERO de diferentes QSO's

PESO POR FAIXA

PESO POR MODO

PONTOS DOS QSO's (QSO's x faixa x modo)

Diferentes GRIDS WRKD

6 metros

FM

10

X 1

X 1

10

5

6 metros

SSB

5

X 1

X 2

10

5

6 metros

CW

2

X 1

X 2

4

0 (*)

6 metros

DIGI

0

X 1

X 1

0

0

2 metros

FM

20

X 2

X 1

40

20

2 metros

SSB

10

X 2

X 2

40

3

2 metros

CW

3

X 2

X 2

12

3

2 metros

DIGI

1

X 2

X 1

2

0

 

Some separadamente os pontos de QSO's >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>118

Some separadamente os grids trabalhados >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>36

Multiplique o resultado da soma dos pontos

de QSO pelo resultado da soma dos grids trabalhados >>>>>>>>>>>>>>>>>>>> 118 X 36 = 4248 pontos

 

GRID SQUARE:

  1. A troca de Grid Squares no QSO é obrigatória. A sua omissão acarreta em contato não válido.
  2. Cada estação transmitirá durante todo o conteste um (1) único Grid Square.
  3. Os quatro (4) primeiros caracteres do Grid Locator são suficientes para caracterizar o Grid Square.
  4. ( Por exemplo: O grid de PY2ZX é GG66NU. PY2ZX envia pois GG66).

  5. A diferenciação dos grids é caracterizada quando um ou mais destes caracteres são diferentes ao da sua estação.
  6. ( Por exemplo: GG66 é diferente de GG67 que é diferente de GH67 ).

  7. A estação localizada precisamente na divisa de dois Grids deve escolher um deles como sendo o da estação. Neste caso, é apreciável comentário sobre no relatório.
  8. O competidor deve saber previamente do seu correto Grid. Para tanto consulte Anexos ou entre em contato com a Direção do concurso nos endereços indicados antes do início do conteste com as coordenadas geográficas ( latitude e longitude ) do QTH onde estará instalada a estação.

 

RELATÓRIOS - DEAD LINE:

  1. Compõe obrigatoriamente o relatório: a declaração, o sumário e o LOG.
  2. Os Relatórios deverão ser enviados, no máximo, até 30 dias após o término do Concurso, valendo como comprovante a data de postagem ou o recibo postal, caso enviado via Registrada ou SEDEX. Não serão aceitos logs atrasados. Os logs atrasados poderão participar no resultado final mas serão inelegíveis para a premiação.
  3. Os relatórios ( em papel ou disquete ) deverão ser enviados a : LABRE-SP - Caixa Postal 22 - CEP 01059-970 - São Paulo - SP - Brasil.
  1. Relatórios via e-mail para: cbvu@labre-sp.org (Será enviada por E-Mail confirmação pelo organizador).
  2. A Direção indica ao responsável pela estação competidora ter cópia reserva do Relatório para posterior consulta.
  3. A Direção está a disposição dos competidores nos endereços citados para solucionamento de dúvidas na elaboração dos documentos antes do prazo de entrega dos relatórios.

 

Declaração:

  1. A declaração é o documento no qual o responsável pela estação, bem como seus operadores declaram estarem cientes deste regulamento, das normas nacionais e internacionais regulatórias, bem como foram observados e respeitados tais preceitos, inclusos a conduta ética e esportiva durante toda a competição.
  2. Tal declaração poderá seguir o modelo ou tópicos nos ANEXOS deste regulamento.

 

Sumário:

  1. O Sumário é o documento no qual o responsável da estação informa o(s) operador(es) que compõe a estação, nome(s), classe(s), QRZ(s), endereços residenciais e de correspondência.
  2. O Sumário informa claramente todas as características da estação utilizada no conteste, a sua precisa localização, endereço, Grid Square utilizado, QRZ utilizado ( se especial, o responsável ), categoria de competição, potência máxima utilizada.
  3. No Sumário indica-se, caso esteja seja associado, o DX clube ou associação semelhante competidora.
  4. No Sumário manifesta-se a intenção de concorrer as premiação especial de Novato e YL.
  5. O Sumário também resume a pontuação e desempenho da estação durante o conteste. Deverão ser indicados a pontuação final, número de multiplicadores e número de QSO's, por banda e modo quando necessário. Para tanto, o radioamador poderá seguir o modelo ou os tópicos no ANEXOS deste regulamento.

 

LOG:

  1. O LOG é o documento pelo qual pode-se acompanhar os detalhes de todos os QSO desenvolvidos no conteste.
  2. É obrigatória a inclusão dos seguintes dados:

- Data

- QTR (em UTC)

- QRZ da estação trabalhada

- Banda ou QRG

- Modo

- Reportagem - RS(T) - enviado e recebido (ver info em QSO e para radioescutas)

- Grid Square recebido.

 

Todo Grid Square multiplicador deve ter destaque entre os demais ou coluna específica como proposto no Modelo.

 

Os participantes de categorias Multi Bandas devem preencher folhas de Logs separadas para cada banda trabalhada, exceto nos Logs recebidos em formato conhecido de programas específicos de contestes.

 

Na possibilidade de QSO recordista por distância, indique e destaque os dados deste QSO para posterior análise por parte da Direção do Conteste.

 

No caso do Log de radioescuta, devem-se acrescer os seguintes dados:

 

 

Nota para as estações brasileiras: O horário UTC para as transmissões no Brasil continental é de mais três horas PY, nas ilhas oceânicas é de mais duas horas PY.

 

PREMIAÇÃO:

  1. Em cada categoria de competição, ao melhor colocado na classificação mundial, aos melhores por país DXCC, por Estado brasileiro ou área de chamada dos EUA.
  2. Os prêmios são não cumulativos, valendo a seguinte ordem de importância: mundial, país, estado ou
  3. área de chamada (EUA).

  4. Todas as premiações serão enviadas pelo correio após a divulgação oficial dos resultados.

 

PREMIAÇÕES ESPECIAIS:

  1. Novato - Para o melhor radioamador com menos de três (3) anos de licença classificado, que tenha operado nas categorias referentes aos Mono operadores. Premiação por continente e Brasil ( não cumulativo ).
  2. Nota 1: O novato só poderá ganhar uma vez este prêmio. Após ganho, o vencedor não estará mais

    habilitado a concorrer neste prêmio nas próximas edições.

    Nota 2: Será considerado habilitado a concorrer pelo prêmio o radioamador novato manifesto no Sumário.

  3. YL - Para a melhor operadora classificada que tenha operado nas categorias referentes aos Mono operadores. Premiação por continente e Brasil ( não cumulativo ).
  4. Nota 1: Será considerada habilitada a concorrer pelo prêmio a radioamadora YL que manifesta no Sumário.

  5. ZZ - Para o melhor operador classe "D" brasileiro classificado, que tenha operado nas categorias referentes aos Mono operadores.
  6. PU - Para o melhor operador classe "C" brasileiro classificado, que tenha operado nas categorias referentes aos Mono operadores.
  7. Expedição - Para a melhor operação portátil (não móvel) destinada exclusivamente para o conteste e devidamente comprovada nos dados e documentações adicionais ao relatório. De âmbito mundial e Brasileiro.
  8. Clube PY - Para o melhor grupo, clube ou equipe de radioamadores classificada no Brasil.
  9. Clube DX - Para o melhor grupo, clube ou equipe de radioamadores classificada do Mundo. Grupos brasileiros também competem nesta categoria, não cumulativo com o prêmio de Grupo PY.
  10. Clube Radioescuta - Para o melhor grupo, clube ou equipe de radioescutas classificada do Mundo e Brasil (não cumulativa), nos mesmos moldes das premiações dos clubes de radioamadores.
  11. Participação: Excepcionalmente nesta primeira edição do conteste serão outorgados diplomas de participação para aqueles que obtiverem ao menos quarenta por cento ( 40 % ) do número de contatos da melhor colocada geral monobanda ( respectiva a sua escolha monobanda ) ou da melhor pontuação geral multibanda ( respectiva a sua escolha multibanda ).

 

CLUBES:

  1. Serão outorgados diplomas especiais aos grupos, associações, clubes ou entidades afins, de âmbito regional ( não nacional ou internacional ).
  2. Caracterizará a pontuação de cada Clube a soma da pontuação final de cada estação competidora associada manifesta pelo Sumário.
  3. São necessários ao menos três (3) Logs de diferentes estações que tenham no total operado em no mínimo dois (2) modos de emissão diferentes para legitimar o Clube. A exigência dos modos não se aplica apenas aos clubes de radioescutas.
  4. É apreciável receber ao menos a lista de operadores ou estações de cada clube até o início da competição para a Comissão pelos meios indicados. Vale data de postagem - envio.
  5. Os radioescutas não poderão participar na pontuação dos clubes de radioamadores e vice-versa. A pontuação e premiação dos clubes de radioescutas será distinta das dos clubes de radioamadores.

 

RECORDES:

A. Serão computados e divulgados os recordes continentais, mundiais e brasileiros de pontuações de cada

banda por potência empregada ( QRP, Baixa potência e QRO ).

B. Serão computados e divulgados os recordes continentais, mundiais e brasileiros da maior distância DX

de contato efetuado no conteste, por banda e potências empregadas ( QRP, Baixa potência e QRO ).

C. Para os recordes de distância, o operador responsável da estação a priori recordista deverá especificar

quais os contatos que desejam ser divulgados e avaliados.

  1. O recorde não equivale a qualquer prêmio, exceto no caso deste manter-se inalterado por mais de 3 (três) edições consecutivas( renovável ).
  2. A Comissão poderá solicitar o QSL ou fotocópia do para confirmação do contato recordista.

 

PENALIZAÇÕES: Ocorrerão penalizações por violação da legislação do serviço de radioamadorismo do país do competidor, violação da regulamentação do concurso, por excesso de contatos duplicados na mesma faixa, QSO's ou multiplicadores não computados; excesso de indicativos, QTR's, modos, multiplicadores e grids incorretos ou inexistentes logados;, transmitir com potência excessiva para sua categoria assim como por desconsiderar as implicações da sua categoria, omitir ou confundir dados da estação, dos operadores e do local de transmissão fixo / portátil ou móvel em todos os documentos relativos ao relatório.

É falta grave utilizar durante o conteste repetidoras, satélites, QSO's por banda cruzada, freqüências informativas (net-call QRG's), solicitar contatos em packet-nodes, self-spotting, tal como transmitir fora do espectro ou canalização prevista destinada aos modos SSB, CW, FM e digitais, assim como permitir e contestar durante o concurso pessoas não autorizadas a operação de estação de radioamador, conduta não esportiva, antiética, preconceituosa ou mal educada.

Para tanto a Direção do Concurso estará atenta às comunicações devidamente fundamentadas a esse respeito, assinadas por participantes que se sentirem prejudicados ou ofendidos por atitudes dessa natureza.

Poderão ser aplicadas sanções específicas previstos neste regulamento, a perda dos pontos envolvidos na penalidade, bem como o efeito de desclassificação da estação.

 

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS

  1. Os resultados serão divulgados pela Comissão organizadora em até 11 meses após a realização do conteste e antes da próxima edição do conteste.
  2. A divulgação dos resultados será pública na imprensa mundial especializada, com prioridade aos órgãos de comunicação divulgadores iniciais do regulamento.
  3. A divulgação oficial será pelo(s) meio(s) oficial(is) de divulgação da LABRE - Regional Jundiaí e / ou LABRE - Federação São Paulo e / ou da LABRE - Confederação nacional.

 

CONTATOS COM A DIREÇÃO:

  1. Por carta: Caixa Postal 1292 - CEP 13202-970 - Jundiaí - SP - Brasil
  2. Por FAX: (011) 7396-6487 (horário comercial), LABRESP (011) 294-1047.
  3. Por telefone: (011) 9111-7996 (das 2200 as 2400 PY), LABRESP (011) 294-4160, 293-2060, 293-4996, 294-1047.
  4. Por e-mail: cbvu@labre-sp.org
  5. Por Home Page: http://www.labre-sp.org

 


 

Volta